Programação

Novembro 2018
S T Q Q S S D
« Out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
Formação em Leitura Dialógica e Produção de Livros Artesanais

Formação em Leitura Dialógica e Produção de Livros Artesanais

A Reserva tem o enorme prazer de receber a Dra Jane Christina Pereira, do Instituto Federal de Brasilia (Brasil), e que se encontra atualmente a realizar uma pos-graduação na Universidade Nova de Lisboa. A Dra Pereira é especialista na metodologia de Tertúlia Literária Dialógica e sua aplicação pedagógica.

 

As Tertúlias Dialógicas têm um potencial inovador e transformador, podendo abordar diferentes áreas do conhecimento (música, arte, ciência), estando reconhecidas pela ONU como metodologia de sucesso na resolução de conflitos a nível de implementação mundial.

 

Esta formação irá realizar-se em 3 sessões sequenciais:

#1 – Oficina de Tertúlia Literária Dialógica (3/11, Sábado, das 15h às 17h, Edifício 29)

#2 – Oficina de Escrita Poética (10/11, Sábado, das 14h às 16h, Edifício 29)

#3 – Oficina de Produção de Livros de Autor Artesanais (17/11, Sábado, das 15h às 17h, Edifício 29)

 

Ao longo destas sessões, a Dra Jane irá explorar com os participantes as origens e contextualização teórica e filosófica da metodologia, diversas aplicações práticas (através de exemplos da sua própria experiência enquanto moderadora e formadora), e orientar atividades participativas de criação literária, em que serão oferecidas técnicas de escrita criativa e de produção de livros autorais/artesanais.

Esta formação é direcionada a professores, educadores, criadores, e público em geral, com interesse em pedagogia e numa abordagem educativa de igualdade e solidariedade, e que acreditam que aos poucos podemos tornar o mundo num lugar melhor e mais justo para todos. 

A formação é GRATUITA e tem lotação máxima de 10 participantes. Para se inscrever ou para mais informações contacte A Reserva através da nossa página ou pelo e-mail areservanafabrica@gmail.com

 

Dia 03 de novembro – Oficina de Tertúlia Literária Dialógica

 A Tertúlia Literária Dialógica (TLD) surgiu em 1978, no pós-guerra franquista, na Escola de Educação de Pessoas Adultas da Verneda de Sant-Martí, em Barcelona/Espanha. Trata-se de uma metodologia de leitura literária, que possui os seguintes princípios: diálogo igualitário, inteligência cultural, transformação, dimensão instrumental, criação de sentido, solidariedade, igualdade de diferenças e fruição da literatura. É uma atividade cultural fundamentada na aprendizagem dialógica, uma forma de conceber a aprendizagem como fenômeno humano, que só se realiza na relação entre sujeitos, mediados pelo diálogo. A TLD se organiza em um círculo, no qual os participantes socializam suas impressões por meio do diálogo igualitário, em cuja dinâmica o lido vai sendo inter-relacionado com o vivido. Os diálogos são transformados em memórias, compartilhadas ao final do encontro. Aqui o lugar de fala de todos é respeitado e validado, propiciando ao participante aquele pertencimento genuíno.

Nessa oficina vamos ter um momento prático e um teórico. É uma formação indicada para professores de Língua Portuguesa e/ou Literatura, educadores sociais, escritores, leitores ávidos, enfim a todos que se interessem pela arte literária e pela convivência dialógica.

 

Dia 10 de novembro – Oficina de Escrita Poética

Escrever poemas é um revelar sem abrir as cortinas. É dançar nesse abismo entre pensamento/emoção e linguagem. O poema alcança o tempo puro, mergulho nas águas primordiais da existência. A poesia não é nada senão tempo, ritmo eternamente criador. É um modo de resistir para ser cada vez mais si mesmo, a saber que dentro não é tão longe e tem todos os outros. Na poesia “o universo deixa de ser um vasto armazém de coisas heterogêneas. Astros, sapatos, lágrimas, locomotivas, salgueiros, mulheres, dicionários, tudo é uma imensa família, tudo se comunica e se transforma sem cessar, um mesmo sangue corre por todas as formas e o homem pode ser, por fim, o seu desejo: ele mesmo.” (Octávio Paz)

Mas como expressar o indizível ou o denso demais? Como fazer do lixo poesia? Como resgatar a unidade do ser em meio a essa fragmentação imperativa? Nessa Oficina de Escrita Poética teremos um rumo: o sentir – o sentido – o sentir. Para isso faremos vivências corporais, rodas de partilhas e técnicas de escrita poética. Esse processo interessa a quem já escreve, quem nunca escreveu e quem aprecia “voar além das asas”

 

Dia 17 de novembro – Oficina de Livros Artesanais

O livro artesanal é um objeto de arte, uma provocação a essa cruel uniformização, que é também uma uniformização do gosto. Conectar mão-mente-coração parece com fazer sentido novamente. Ressignificar papéis: quem vai me publicar? Eu sou autor? Editor? Qual é o meu livro? Como ele é?

Nessa oficina socializaremos a produção artesanal de livros com materiais recicláveis por meio de técnicas de colagem, de amarrações e de montagem. Estão convidados aqueles que acreditam na democratização da literatura e do livro, aqueles que não estão acomodados como seres cindidos, cujas mãos não sabem o que fazem e aqueles que querem navegar fora das exigências do mercado editorial.

 

Dra Jane Christina Pereira: Doutora em Teoria Literária (2006) pela UNESP, possui graduação em Letras (1997) e mestrado em Literatura Brasileira (2001) pela mesma universidade. De 2008 a 2009 foi professora da Faculdade Michelangelo/Instituto Rui Barbosa do Brasil, coordenadora da Pós-Graduação da mesma faculdade e tutora do Centro de Educação à Distância – Universidade de Brasília (UNB). No que se refere às especificações do percurso acadêmico, trabalhou com os seguintes temas: fortuna crítica: Cecília Meireles (iniciação científica), acervo literário e narrativa poética: João Antônio (mestrado e doutorado respectivamente). Atualmente, é docente no Instituto Federal de Brasília (IFB), onde trabalha com literatura e outras artes por meio das metodologias da Tertúlia Literária Dialógica e da produção de livros autorais/artesanais. (Fonte: Currículo Lattes)

 

Imagem: “Moça com Livro”, José Ferraz de Almeida Júnior, 1879

Comments are closed.